Mestre Oyama

Masutatsu (Mas) Oyama, nasceu Yong Eu-Choi no dia 27 de julho de 1923 em uma aldeia perto de  Gunsan  na  Coréia Meridional. Ainda bem jovem foi enviado a Manchuria, China Meridional, na fazenda de sua irmã, onde começou a praticar Kempo da China Meridional chamada de “dezoito mãos de Sr. Yi”. Quando Oyama retornou a Coréia já com doze anos, continuou treinando Kempo, agora coreano. Em 1938, mudou-se para o Japão e entrou na academia de aviação. Continuou a praticar artes marciais, agora o Judô, porém notara que muitos treinavam karate de Okinawa. Isto o interessou muito e foi treinar no dojo de Gichim Funakoshi na universidade de Takushoku onde aprendeu o que hoje é conhecido como karate Shotokan. O progresso dos treinos era de tal maneira que aos dezessete anos já era 2º Dan, aos vinte 4º Dan.

 

A derrota do Japão (2º Guerra Mundial) quase desesperou o mestre Mas Oyama. Nei Chu, outro coreano morando no Japão, que era na ocasião uma das autoridades mais altas do Goju Ryu, passou a aconselhá-lo, encorajando Mas Oyama a dedicar sua vida a arte marcial, e também sugeriu que Oyama se retirasse durante três anos ficando longe do resto do Mundo para treinar sua mente e corpo. Aos vinte e três anos, Mas Oyama conheceu  Eiji Yoshikawa,  o autor do “Musashi”  (história baseada na vida e façanha do mais famoso samurai do Japão) e a história ajudou a ensinar ao Mas Oyama o código e o significado sobre o samurai Bushido. Naquele mesmo ano, Oyama foi para a montanha Minobu em Chiba, onde Musashi desenvolveu o Nito Ryu. Oyama achou que ali seria o lugar apropriado para começar os seus rigorosos treinamentos que tinha planejado, junto dele levou uma cópia do livro de Yoshikawa e um aluno chamado Yashiro. A solidão era sentida fortemente e depois de seis meses, Yashiro fugiu secretamente, durante a noite, ficando mais duro para Oyama, que mais do que nunca quis voltar à civilização. Assim Nei Chu escreveu a ele, dizendo que deveria raspar uma sobrancelha para se libertar do desejo. Seguramente ele não queria que ninguém o visse daquele modo! Isto e outras palavras o convenceram a continuar e o tornar o mais poderoso karateka do Japão. Porém, o patrocinador veio informar que não era mais possível apoiá-lo, e depois de quatorze meses, teve que terminar com os treinos na montanha.

 

Em 1947, Mas Oyama venceu o campeonato de karate nacional e depois o WWII. Porém, ele se sentia vazio por não ter completado os três anos de solidão, assim decidindo dedicar a sua vida completamente ao karate. E novamente se retirou para a montanha, agora chamada Kiyozumi, também em Chiba, local escolhido por ele para o treino espiritual e físico. Seu treinamento era fantástico, 12 horas por dia, faça sol, chuva ou neve, socando cachoeiras, quebrando pedras de rio com as próprias mãos, usando árvores como “Makiwara”, incluiu também um período para o estudo dos anciões das artes marciais, zen e filosofia. Após dezoito meses, retornou confiante (autocontrole), e nunca mais seria influenciado pesadamente pela sociedade. Em 1950, Sosai (fundador) Mas Oyama começou a testar o seu poder lutando com touros, no total lutou com 52 touros, matou três e 49 tiveram os chifres arrancados com golpes de faca da mão, tudo isso era tão natural, fácil para ele.

 

A partir de 1952 e durante 10 anos, Masutatsu Oyama excursionou por quase todo o mundo, demonstrando seu estilo propagando sua arte. Em 1963, com o quartel general Kyokushinkai estabelecido em Ikebukuro (Japão), Oyama avaliava em 20 mil membros o número de seus seguidores em Tóquio e em 50 mil por todo o Japão. Sua rede internacional expandira-se por 43 países (em 180 ramificações) e sua obra contava ainda com a publicação de 12 livros (dos quais seis no idioma japonês), sendo o mais famoso deles “What is Karate?” com 170 mil exemplares vendidos até 1960.

 

Possuidor de descomunal força física, Oyama ficou famoso pelas suas técnicas de quebramento: partia mais de 30 telhas, além de tijolos e pedras com uma única pancada descendente e matava touros também com um só golpe.

Masutatsu Oyama esteve no Brasil mais de uma vez, tendo sua última visita se dado em 1985, por ocasião do Terceiro Torneio Sul-Americano Kyokushin, quando recepcionado por cerca de 2.200 alunos. Neste ano de 1994, sua vinda estava programada para o I Mundialito, dias 13 e 14 de agosto em São Paulo. Infelizmente e para pesar de todos os praticantes de artes marciais, um mês depois de diagnosticado um câncer pulmonar, Masutatsu Oyama veio a falecer em 26 de abril de 1994 aos 70 anos de idade.

 

One Response

  1. Hello! I simply want to give you a huge thumbs up for the excellent info you have here on this post.
    I am coming back to your blog for more soon.

    28/06/2014 at 10:47

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>